O labirinto e a Ilha

Labirinto 

ILHA DE FÁTMA

(by Gasparetto)

Sinto no olhar uma lágrima
A escorrer de saudade
Como te encontrar oh Fátma
Se eu não te disse a verdade!

Meus lustros são todos dez
Já me sussurras palavras
Se eu me prostro aos teus pés
Com tuas frases me lavras!

Se te encontrei foi por sorte
Foi muito mais uma dádiva,
Fui ao encontro do Norte
Todas as Ilhas de Fátma!

::::::::::::::::::::::::::::::: 

LABIRINTO DO FANTASMA

(resposta inspirada para “A Ilha de Fátma)

 As lágrimas salgaram o meu rosto,

Expressão de uma saudade sincera,

Tu me perdestes…que desgosto….

Fim de uma Era, 

Mas eu insisto em sussurrar,

Beleforonte venceu a Quimera,

Pégaso foi a ferramenta da luta,

E agora tu podes voltar – inicia-se uma nova Era,

 Neste labirinto (de perdas) escuro,

Sou Ariadne – te dou um novelo,

Tu és Teseu e foge,

Mas se fores Ícaro

E cair

Que caia em meus braços agora! 

Meu caro Gaspar, o fantasma

Nem me é permitido te ver,

(Teu rosto não me foi revelado),

E ante a esta séria privação,

A mim só resta sofrer, 

Meu muso não conheço,

Somente palavras e estas esqueço,

Memórias, andanças, quadruz (urbanuz),

Quem isso pode entender? 

Talvez um dia te veja

E em teus olhos eu possa me ver,

(Encontrando-me finalmente me perderia)

Fazendo esta busca incessante ceder, 

Os pesadelos findariam,

Os sonhos cessariam,

Mutatis Mutandis, meu jovem:

Poderíamos então viver!

   

 

4 Comentários

  1. janeiro 8, 2008 às 1:04 pm

    o que dizer mulher?
    desse jeito meu coração dispára,
    e o sentimento diz: Pára!
    num imperativo…
    mas me mantenho vivo
    com lápis, caneta, o que vier…
    se o que se quer,
    com tuas belas palavras…
    estou aqui desta lado…
    … ok! eu me entrego!

  2. fatima said,

    janeiro 8, 2008 às 10:38 pm

    Honey :

    Sentimentos são cavalos selvagens aprisionados dentro do peito.

    O disparo do coração, simples reminiscências do galopar…

    Dissestes que depusestes tuas armas, que te entregastes docilmente…como poderia acreditar, se neste mundo irreal/surreal, composto de bites (zeros e huns), as palavras sussurradas só tem valor para quem as profere, se as palavras são sem sentido?

    Como acreditar que desistes do combate, se mesmo desistindo não largastes tuas principais armas (o lápis, a caneta, o que vier)?

    O que quero, com minhas belas palavras?

    Bom, se não o sabes…ficará sem saber, se o sabes, qual a dúvida?

    Alias, o que queres com as tuas?
    🙂

  3. prof gasparetto said,

    janeiro 9, 2008 às 11:30 am

    Quando os silêncios quebrarem nossos segredos, então o mundo terá mais sentido!

    Tenho certeza na vida
    Que um dia vou te encontrar…
    Não tenha pressa querida!
    Palavras vão sussurrar!

    (Jan: 08, 2008)

  4. fatima said,

    janeiro 9, 2008 às 12:19 pm

    Juan

    Sentidos,
    Sussurros,
    Palavras,
    Promessas,
    ……

    Tola seria aquela,
    Que nelas se pusessem
    A acreditar,

    Don Juan virtual,
    Que com palavras
    Conquista todas as belas,
    Que dedica à todas palavras
    (sinceras)?

    Tolas mulheres!
    Que se deixam quedar,
    Só prá depois ficarem
    Quais Otelos…
    Quais Casmurros,

    Remoendo ciúmes
    (tolos?)
    Pelas palavras que o Juan
    Profere às rivais,

    O homem-poeta
    Só quer brincar,
    Brincar de amar,

    Conquistar para dividir,
    É a máxima do soldado,
    Só prá depois partir,
    Para outras guerras…

    E as donzelas?
    Ficam a esperar…
    São tolas todas elas!
    (suspiros)
    Como é a aprendiz
    De escritora!

    ::::::


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: