Alguém em desespero: abra a porta!

Banco à espera 

Amapoula, me nomeastes,
Palavras de amor:
Me conquistastes,

Qual foi o negrou
Que se apoderou de minh’alma
Ao descobrir…

Que lindas palavras de amor,
Não falavas só prá mim!

O anjo macabro do ciúme,
Lançou suas asas sobre mim,

Quis eu causar-te dor,
Despejar meu veneno
Sobre ti,

Mas meu coração traiçoeiro,
Impediu tal revide,

Sou eu qual flor sensível
A murchar por tua ausência!
Se queres um olhar,
Uma palavra,
Darei-te tudo, amigo!
Vem buscar!

Há um banco à espera

De dois enamorados…

“Oh, God!
So near! So far!”

::::::::::::::::::::::::::::

Da série: pensamentos soltos.

7 Comentários

  1. prof gasparetto said,

    janeiro 15, 2008 às 12:38 pm

    Ficção de Amores
    …pelas fendas de uma parede,
    te observei!
    e como preso numa rede,
    me entreguei!
    busquei a tua sede,
    e me embriaguei!
    vê se me entende:
    te cobicei!
    não quero que tentes,
    o que tentei!
    assim me prendes,
    como teu bem!
    não quero mais que inventes,
    o que nunca encontrei…
    és meu futuro presente,
    e eu também…
    (Jan: 15, 2008)

    Parabéns, sempre!

  2. fatima said,

    janeiro 15, 2008 às 1:19 pm

    Mago :


    Seria este,
    Um novo meio
    Que investastes
    para roubar o brilho da lua?
    😉

  3. Rev. Peterson Cekemp said,

    janeiro 15, 2008 às 1:43 pm

    Agora entendi porque o Prof. teve inspiração ao ler o post!
    Fátima, belíssimo, belíssimo poema!!!!!
    Muito bom.

  4. fatima said,

    janeiro 15, 2008 às 1:47 pm

    Querido amigo!

    Sois ambos nobres cavalheiros gentis; isso é o que sois!

    Beijos fraternos, quais caramelos.😉

  5. Aline Lima said,

    janeiro 16, 2008 às 10:04 am

    Lindos versos, nos mostra ridiculos e fracos diante do nosso próprio coração!

    Fico pensando as vezes, o que nos leva a imperdoar o imperdoavel, a compreender o que nem deveriamos ouvir… que coração tolo é o nosso que nos leva sempre para a mesma armadilha.

    As vezes nosso coração substima nossa própria inteligência e estranhamente nem reagimos….

    http://alineol.wordpress.com/2007/09/11/menina/

    Bjus

  6. fatima said,

    janeiro 16, 2008 às 11:12 pm

    Aline :

    Olá!

    Todos nós somos ridículos quando o assunto tratado é o amor…

    Exemplo: quer coisa mais ‘idiota’ do que aquelas conversinhas de enamorados?
    (‘vc me ama?’ ‘amo!’, ‘Jura?’, ‘Juro!’, “O meu chuchuzinho”, “Ô, meu docinho de coco’).

    Só estando também enamorado para que tal diálogo não pareça extremamente RIDÍCULO, he he).
    😉


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: