Canção do Berço

 “Trilhos” - foto de Ana Paula Paiva

O amor não tem importância.
No tempo de você, criança,
uma simples gota de óleo
povoará o mundo por inoculação,
e o espasmo
(longo demais para ser feliz)
não mais dissolverá as nossas carnes.

Mas também a carne não tem importância.
E doer, gozar, o próprio cântico afinal é indiferente.
Quinhentos mil chineses mortos, trezentos corpos de namorados sobre a via férrea
e o trem que passa, como um discurso, irreparável:
tudo acontece, menina,
e não é importante, menina,
e nada fica nos teus olhos.

Também a vida é sem importância.
Os homens não me repetem
nem me prolongo até eles.
A vida é tênue, tênue.
O grito mais alto ainda é suspiro,
os oceanos, calaram-se há muito.
Em tua boca, menina,
ficou o gosto do leite?
ficará o gosto do álcool?

Os beijos não são importantes.
No teu tempo nem haverá beijos.
Os lábios serão metálicos,
civil, e mais nada, será o amor
dos indivíduos perdidos na massa
e só uma estrela
guardará o reflexo
do mundo esvaído
(aliás, sem importância)

by Carlos Drummond Andrade

3 Comentários

  1. Aline Lima said,

    março 13, 2008 às 11:46 am

    Drummond sabia enxergar o mundo… bom saber enxergar Drummond….

  2. maio 3, 2008 às 2:48 am

    A última estrofe foi particularmente melhor… Não sei porque, mas não tenho muita conexão com poemas – só alguns. Esse só me “fisgou” na última esfrofe.

  3. junho 18, 2008 às 1:59 pm

    […] O meu amor não tem importância nenhuma. […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: